.
Início do cabeçalho
.

Início do conteúdo

Início do conteúdo
Tribunal iniciou troca de iluminação tradicional por de LED, que consome 80% menos energia (Mario Oliveira/TJAM)
Tribunal iniciou troca de iluminação tradicional por de LED, que consome 80% menos energia (Mario Oliveira/TJAM)

A Divisão de Engenharia e Manutenção (Dieng), por meio da Seção de Obras Civis (Seoci), está substituindo lâmpadas tradicionais das dependências dos edifícios do TRF1 por lâmpadas de LED. A ação busca atender às disposições do Plano de Logística Sustentável (PLS) com a redução do consumo de energia elétrica, bem como a redução dos gastos com manutenção e troca de lâmpadas, pois as de LED, além de durarem mais, não poluem o meio ambiente.

Segundo Paloma Leal Coutinho Boros, supervisora da Seoci/Dieng, “a economia gerada total em consumo de energia é estimada em 10%, o que equivale a uma redução no consumo específico de iluminação de 80%”.
A equipe responsável pela substituição das lâmpadas já está percorrendo as unidades do Tribunal de acordo com um cronograma estabelecido com observação de critérios de prioridade, dentre eles:
1. Áreas comuns de grande circulação, onde os serviços poderão ser desenvolvidos sem prejuízos de funcionamento das atividades do Tribunal;2. Áreas de uso comum, de pequeno porte, onde os serviços poderão ser desenvolvidos sem prejuízos das atividades do Tribunal;3. Áreas privativas administrativas, onde os serviços poderão causar pequenas paralisações das atividades do ambiente, contudo poderão ser executadas durante horário de expediente normal;4. Áreas ocupadas por desembargadores e juízes federais, com previsão de realização dos serviços nos período do recesso e férias dos referidos magistrados, com vistas a reduzir transtornos ao ambiente de trabalho.
A priorização das áreas também observa o tipo de lâmpada a ser instalada (9W e 18W). O serviço de troca já foi realizado em parte dos Edifícios-Sede I e II. A previsão é que todas as dependências ocupadas pelo TRF1 estejam com as lâmpadas de LED até o fim do ano, à exceção do Edifício Dona Marta, que está em processo de devolução.

Fonte: TRF1


Tópicos: meio ambiente,Sustentabilidade,Consciência ambiental,Gestão ambiental,gestão socioambiental,Plano de Logística Sustentável (PLS)