A coleta de informações dos tribunais para a Comissão Nacional da Verdade é destaque do CNJ no Ar

Compartilhe

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) prorrogou o prazo para que os tribunais brasileiros informem sobre os processos relacionados às violações de direitos humanos que ocorreram no período de 1946 a 1988. A data limite para o envio dos dados passou do dia 31 de janeiro para 15 de fevereiro. Essas informações ajudarão os integrantes da Comissão Nacional da Verdade na produção do relatório com esclarecimentos do que ocorreu na época e na construção de um acervo que, posteriormente, ficará disponível no Arquivo Nacional. No programa desta segunda-feira (10/1), o CNJ no Ar entrevista a diretora do Departamento de Pesquisas Judiciárias do CNJ, Janaína Penalva, para falar sobre esse levantamento.

O programa de hoje conta também com a participação do coordenador do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas, do CNJ, Douglas de Melo Martins, que falará sobre os presídios brasileiros. A entrevista marca o início da série especial sobre Presídios Brasileiros – Ações do Judiciário para um sistema melhor. Os especialistas no setor vão falar sobre a real situação das penitenciárias do País e fazer uma análise de quais as soluções possíveis para esses problemas.

Transmitido pela Rádio Justiça na frequência 104.7 FM, o programa CNJ no Ar é uma parceria entre o CNJ e a Rádio Justiça e vai ao ar de segunda a sexta-feira, a partir das 10 horas. O programa também pode ser acessado pelo site www.radiojustica.jus.br.

Agência CNJ de Notícias