CNJ pretende criar modelo de modernização para Judiciário

        O CNJ pretende iniciar pela Bahia projeto de modernização que sirva de modelo para o Judiciário de todo o País. A informação foi dada hoje pelo conselheiro Antônio de Pádua Ribeiro, Corregedor Nacional de Justiça. Ele coordena a comissão do CNJ que visita Salvador com a finalidade de ajudar a encontrar soluções para o Judiciário baiano. Integram a comissão, além do Corregedor, os conselheiros Marcus Faver, Alexandre de Moraes, Ruth Carvalho e Oscar Argollo.

        Na tarde desta segunda-feira, dia 8 de maio, a comissão participou de audiência com os desembargadores do Tribunal de Justiça da Bahia. Os magistrados manifestaram apoio à proposta do CNJ de firmar convênio com o estado. Pelo acordo, será formada uma equipe com representantes do Executivo, do Legislativo e do Judiciário, com a tarefa de estudar e implementar medidas para modernizar e democratizar a justiça baiana.

        O grupo participou também de audiência pública na seccional da Ordem dos Advogados do Brasil na Bahia. Amanhã, a comissão tem outras três audiências: com o Procurador Geral de Justiça, Lidivaldo Brito, o Presidente da Assembléia Legislativa, Clóvis Ferraz, e o Governador Paulo Souto. Segundo Pádua Ribeiro, a assinatura do convênio que tratará de questões estruturais não impede a apuração pelo CNJ de eventuais abusos e irregularidades nos serviços judiciários no estado.

Deixe um comentário