Suspenso cumprimento de medida que afastava juiz em MG

Está suspensa até a próxima sessão do CNJ, que se realiza dia 24, o cumprimento da medida liminar que afastou do cargo o juiz Juscelino José de Magalhães, da comarca de Timóteo, no Estado de Minas Gerais. O afastamento preventivo do magistrado e a abertura de procedimento disciplinar contra ele foram decididos em sessão do Conselho na última terça-feira (10/10), sob as acusações de desvios de conduta e comportamento inadequado.

Nesta quarta-feira (11/10), o magistrado alegou que os nomes de seus advogados não figuraram na pauta de intimação para a sessão em que seu caso foi julgado. E pede, por esse motivo, a suspensão dos efeitos da decisão.

O relator do caso, conselheiro Eduardo Lorenzoni, acatou o pedido, suspendendo, até a próxima sessão, o cumprimento da medida. "Consultei pessoalmente o site do Conselho Nacional de Justiça e verifiquei que, conforme alegado, não constaram os nomes dos advogados do requerido na intimação", escreveu o relator em seu despacho. Este documento e toda a tramitação do caso, a Revisão Disciplinar número 09, podem ser consultados via internet, pelo sítio do CNJ, em Acompanhamento Processual, ou clicando aqui.

 

Deixe um comentário