Ayres Britto diz que ressocialização de presos é dever do Estado

Compartilhe

Reeducar, ressocializar e preparar a reinserção dos presidiários na sociedade são deveres do Estado, afirmou nesta terça-feira (13/11) o ministro Ayres Britto, presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), ao assinar acordo com a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) para a contratação de detentos.

Pelo acordo, a ECT contratará 800 detentos para trabalharem em suas unidades administrativas espalhadas pelo País, em uma parceria com o Programa Começar de Novo, instituído pelo CNJ com o objetivo de criar condições de capacitação profissional e trabalho para ex-presidiário, de forma a evitar reincidência criminal.

“É um dever nosso. Isso se inscreve no âmbito do que tenho chamado de constitucionalismo fraternal, não propriamente de distribuir oportunidades de emprego, mas de assegurar a determinados segmentos desfavorecidos espaços institucionais”, disse Britto.

Gilson Luiz Euzébio
Agência CNJ de Notícias