Campanha pela reinserção social de ex-detentos vai ao ar nos próximos dias

Compartilhe

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) lançam, nos próximos dias, campanha publicitária mostrando que a oportunidade de capacitação profissional e de trabalho para detentos e egressos do sistema carcerário é fundamental para a diminuição da reincidência criminal, em benefício de toda a sociedade. A campanha tem dois vídeos institucionais a serem veiculados em emissoras de TV, sites da internet e entidades diversas, sobretudo nos vários tribunais brasileiros. O material completo será divulgado, ainda, em spots para rádios e versões impressas para revistas e jornais de todo o país.

Os vídeos mostram imagens de detentos e ex-detentos exercendo atividades profissionais. Em ambos, a principal mensagem diz: “Nada pode mudar o passado de uma pessoa. Mas uma nova chance pode mudar o futuro. O Conselho Nacional de Justiça e a Fiesp acreditam na ressocialização de presos por meio da capacitação profissional e da oportunidade de emprego. Quem já pagou pelo que fez merece a chance de começar de novo.”

No total, são dois VTs de trinta segundos para televisão, dois spots para rádio, um cartaz para internet e outro para publicações impressas – podendo este último ser adequado ao formato que o veículo impresso solicitar.

Apoio – O objetivo da campanha é mostrar a importância do trabalho na ressocialização dos ex-detentos e, sobretudo, a relevância do apoio dado pelas empresas ao programa Começar de Novo do CNJ – que tem o intuito de reinserir os ex-apenados no mercado de trabalho e, dessa forma, servir como estratégia para a redução da criminalidade.

O material está vinculado ao Encontro Nacional do Programa Começar de Novo, que CNJ e Fiesp realizam, conjuntamente, nos dias 5 e 6, na sede da Fiesp, em São Paulo. No evento – um grande workshop para cerca de 400 empresários – serão divulgadas experiências de reinserção social e informações sobre como aderir ao programa;

Instituído em outubro de 2009, o Começar de Novo é executado numa parceria entre CNJ, tribunais de Justiça, setor público, empresas privadas e entidades da sociedade civil. Em dezembro de 2010, o programa recebeu o VII Prêmio Innovare, distinguido como ação do Poder Judiciário que beneficia diretamente a população. Até o momento, já foi responsável pela ocupação, por parte de detentos e egressos do sistema carcerário, de 1.676 postos de trabalho no país.

Jorge Vasconcellos e Manuel Carlos Montenegro
Agência CNJ de Notícias