Corregedoria doa avião do tráfico à Justiça do Mato Grosso

Compartilhe

A ministra Eliana Calmon, corregedora nacional de justiça, informou que a Corregedoria entregará, este mês, um avião monomotor ao Poder Judiciário do Mato Grosso para transporte de magistrados. O avião, com capacidade para cinco pessoas, foi apreendido pela Polícia Federal com quase 200 quilos de cocaína e está avaliado em R$ 500 mil. A aeronave será compartilhada pelo Tribunal de Justiça daquele Estado (TJMT) com os tribunais regionais do Trabalho e Eleitoral.

“Com esse avião posso ir a várias comarcas no mesmo dia”, comentou o corregedor-geral de justiça de Mato Grosso, Márcio Vidal, durante audiência com a ministra corregedora. “O monomotor já resolve muitos dos nossos problemas”, acrescentou. A ministra Eliana Calmon disse que quer equipar com dois aviões (um bimotor e um monomotor) cada tribunal dos Estados localizados na Amazônia Legal – que compreende Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e grande parte dos Estados do Maranhão e Mato Grosso.

Economia – O avião destinado ao Mato Grosso é da marca Bonanza modelo 35, fabricado nos Estados Unidos. Foi apreendido na semana passada quando transportava cocaína da Colômbia para Cuiabá. De acordo com o juiz auxiliar da Corregedoria Marlos Melek, uma viagem que levava até seis dias de ida e volta para um ato de fiscalização, por exemplo, com a aeronave passará a ser realizada em, no máximo, dois dias, o que representará economia de tempo, deslocamento e diárias para o Judiciário

Segundo Melek, a hora de voo deste avião, em combustível, custa apenas R$ 200,00, e sua capacidade é de aproximadamente 260 Km/h. “Este é o Poder Judiciário que todos queremos. Um Poder que dialoga, mobiliza-se, articula-se, fortalece-se. Integrados, todos os ramos do Poder Judiciário do Mato Grosso utilizarão o avião”, enfatizou o magistrado.

Amazonas – Não é a primeira vez que a Corregedoria Nacional de Justiça entrega aeronaves apreendidas no tráfico ao Poder Judiciário, melhorando a prestação de serviços jurisdicionais ao cidadão.

Em junho, o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) recebeu um avião monomotor, também apreendido do tráfico de drogas. O avião passou a servir à região amazônica, evitando o fechamento de 30 varas no interior, inacessíveis por terra na maior parte do ano. O funcionamento destas comarcas estava ameaçado pela falta de transporte dos processos e dos magistrados, já que o acesso por terra é inviável na região.

Gilson Luiz Euzébio e Luiza de Carvalho
Agência CNJ de Notícias