CNJ instituirá política de segurança da informação

Você está visualizando atualmente CNJ instituirá política de segurança da informação
Compartilhe

Uma equipe do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) está elaborando uma proposta de política de segurança de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) para o órgão. A decisão é do Comitê Gestor de Segurança da Informação do CNJ, instituído pela Portaria CNJ n. 112, de julho de 2013. “O trabalho inicial é estabelecer a política de segurança para depois adotar as medidas a serem seguidas pela instituição”, afirmou Francisco Gonçalves de Araújo Filho, coordenador da Seção de Administração de Segurança da Informação do CNJ.

Segundo ele, assim que for instituída a política, o CNJ iniciará o trabalho de implantação e divulgação das medidas necessárias para evitar a ocorrência de incidentes na rede de comunicação do colegiado. “A segurança da informação não depende apenas do departamento de tecnologia. Ela exige a dedicação de todos os integrantes da instituição”, disse. Os funcionários, por exemplo, não podem se ausentar da mesa de trabalho sem antes fazer o log off do seu computador. Caso contrário, qualquer outra pessoa pode aproveitar essa ausência para alterar dados ou enviar correspondências como se fossem oficiais. Hoje, o sistema já bloqueia automaticamente o computador que ficar mais de 15 minutos sem uso.

O CNJ dispõe também de um software de análise de risco que age diretamente nos mais de 100 servidores (computador de alta capacidade de processamento) do Conselho, detectando eventuais vulnerabilidades.

Gilson Luiz Euzébio
Agência CNJ de Notícias