CNJ participa de congresso do Conip

A presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Ellen Gracie, participa nesta segunda-feira (18/09), às 9h, da solenidade de abertura do congresso Inovação e Integração do Poder Judiciário. O evento é uma promoção do Conip Brasília e se realiza nos dias 18 e 19 de setembro, no Hotel Blue Tree Alvorada, na capital federal.  

O secretário-geral do CNJ, juiz Sérgio Tejada, fará duas apresentações no congresso. A primeira delas, às 14h do dia 18 de setembro, será sobre o PL 5828, que regulamenta a utilização do processo virtual no Judiciário e está em tramitação no Congresso. No dia 19, às 16h30, Tejada volta a falar, desta vez sobre demandas de modernização e políticas de informática para o Judiciário.

O evento se destina a profissionais do Judiciário e pretende levantar questões sobre o uso da informática pública com foco na modernização da Justiça brasileira. Esta é a primeira vez que o Conip Brasília promove um congresso totalmente voltado ao Judiciário, onde serão apresentados painéis sobre segurança da informação, certificação digital e investimentos em tecnologia no Judiciário, entre outros.

De acordo com Sérgio Tejada, o PL 5828 é uma demonstração de como será o novo Judiciário. "A justiça brasileira ainda é muito arcaica. O projeto de lei 5828 que fará com que o Judiciário saia do papel, do meio físico, e entre no meio virtual", destaca.

Além disso, lembra Tejada, a virtualização processual poderá combater o que a sociedade considera o maior mal do Judiciário: a morosidade. "Essa é a hora da virada de uma página. Sairemos da página de papel e entraremos em uma página na internet. Com isso, a população ganhará uma Justiça mais ágil, moderna e efetiva".

Sérgio Tejada também falará, em sua segunda palestra no evento, sobre como o Judiciário deve concentrar a inteligência de suas operações e programas. "Temos trabalhado isoladamente. Agora, é a hora de unirmos as forças da Justiça brasileira e concentramos esforços no desenvolvimento de sistemas cada vez mais modernos e estratégias e que façam com que o Judiciário seja cada vez mais atuante", finaliza.

O painel sobre as demandas de modernização e políticas de informática para o Judiciário também conta com a participação do secretário de TI do STF, Paulo Roberto Pinto.

 

 

 

Deixe um comentário