Começar de Novo tem 30 empresas parceiras em Santa Catarina

Compartilhe

O Programa Começar de Novo, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), conta com 30 empresas parceiras no estado de Santa Catarina. Uma das principais é a WEG Indústrias, fabricante de componentes eletroeletrônicos e outros produtos. Ao dar emprego para mais de 30 detentos e ex-detentos, a empresa contribui para que eles reconstruam suas vidas integrados à sociedade.

Em reconhecimento ao esforço da WEG, o presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), desembargador José Trindade dos Santos, entregou o Selo do Começar de Novo ao diretor-presidente da empresa, Harry Schmelzer Júnior, e ao sócio-fundador, Werner Ricardo Voigt. A entrega ocorreu em 23 de setembro, durante solenidade no museu da empresa, situado no município de Jaraguá do Sul.

Para o desembargador Trindade, atitudes como a da WEG precisam ser seguidas pelas demais empresas catarinenses, como meio de construção de uma sociedade mais justa e menos violenta.

 “A sociedade precisa tomar consciência de que os presídios não são depósitos de lixo humano. E o Estado, de qualquer forma, não pode abdicar de sua função e tem também de auxiliar no sentido de, efetivamente, trabalhar pela recuperação do apenado, e não pelo seu aniquilamento no cárcere”, afirmou o presidente do TJSC.

Com sede em Jaraguá do Sul, a Weg mantém, há 11 anos, convênio com o presídio regional do município. Hoje, utiliza, no interior do presídio, a mão-de-obra de 23 detentos, responsáveis pela produção de cerca de 400 componentes eletroeletrônicos por dia.  Além disso, a empresa já empregou mais de uma dezena de ex-detentos em seus parques fabris de Santa Catarina.
 
O diretor-presidente da WEG, Harry Schmelzer, falou do orgulho em ver seu esforço reconhecido pelo CNJ. “Isso demonstra que estamos no caminho certo, o de lutar pelo desenvolvimento das comunidades onde a WEG está inserida, sendo que a recuperação do apenado e seu retorno ao mercado é um exemplo disso”, afirmou.

O programa Começar de Novo foi instituído pelo CNJ em outubro de 2009. Seu objetivo é reduzir a reincidência criminal por meio da oferta de oportunidades de capacitação profissional e de trabalho. Desde então, conseguiu ocupar 1.881 postos de trabalho, em órgãos públicos, empresas privadas e entidades da sociedade civil. Em dezembro de 2010, recebeu o VII Prêmio Innovare, distinguido como ação do Judiciário que beneficia diretamente a população.

Jorge Vasconcellos
Agência CNJ de Notícias com informações do TJSC