Definidos os membros da Comissão Avaliadora do Selo Justiça em Números

Você está visualizando atualmente Definidos os membros da Comissão Avaliadora do Selo Justiça em Números
Compartilhe

Portaria publicada na última segunda-feira (6/1) institui a Comissão Avaliadora para a concessão do Selo Justiça em Números 2014 (Ano-base 2013). O selo será concedido anualmente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aos tribunais que alcançarem excelência nos sistemas de gestão, produção e disseminação das informações prestadas anualmente para produção do Relatório Justiça em Números. Esta será a primeira edição de outorga do selo, criado em novembro do ano passado.

O Selo tem por objetivo incentivar o aprimoramento do Sistema de Estatísticas do Poder Judiciário (SIESPJ), promovendo a melhoria da qualidade da informação e contribuindo para a produção de dados confiáveis que subsidiem os processos de planejamento e gestão estratégicos.

De acordo com a Portaria nº 186, cabe à Comissão Avaliadora definir e divulgar os prazos referentes ao processo de outorga do selo de cada ano; outorgar o Selo Justiça em Números Bronze aos que atenderem às exigências definidas na Portaria; receber as inscrições dos tribunais interessados no selo a partir da categoria prata, bem como os documentos que comprovem o cumprimento dos requisitos definidos; fazer o cômputo da pontuação alcançada pelos tribunais e definir se o tribunal faz jus à concessão do selo pretendido.

Farão parte da Comissão Avaliadora deste ano a conselheira Maria Cristina Peduzzi, o conselheiro Rubens Curado, o juiz auxiliar da Presidência do CNJ, Clenio Schulze, a diretora executiva do Departamento de Pesquisas Judiciárias, Janaína Lima Penalva, e o diretor do Departamento de Gestão Estratégica, Ivan Bonifácio. A composição da Comissão Avaliadora será definida a cada ano pela Presidência do CNJ.

Está prevista a concessão do Selo Justiça em Números nas categorias diamante, ouro, prata e bronze, de acordo com o desempenho de cada tribunal. O selo bronze será concedido, sem necessidade de inscrição, aos tribunais que cumprirem os requisitos mínimos de prestação de dados para o Relatório Justiça em Números, como o envio dos dados e informações nas condições e nos prazos estabelecidos pela Resolução CNJ nº 76/2009.

No que diz respeito às demais categorias, os tribunais interessados deverão se candidatar, e só receberão as credenciais as cortes que cumprirem outros requisitos referentes à gestão da informação e extração de dados de sistemas informatizados. A divulgação dos tribunais agraciados com o selo será feita anualmente durante o Seminário Justiça em Números.

Tatiane Freire
Agência CNJ de Notícias