Estudantes de Direito do Mercosul conhecem o funcionamento do CNJ

Você está visualizando atualmente Estudantes de Direito do Mercosul conhecem o funcionamento do CNJ

Estudantes de Direito de países pertencentes ao Mercosul tiveram uma aula, nesta quarta-feira (8/5), sobre o funcionamento e a importância do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) dentro do Poder Judiciário brasileiro. A palestra faz parte do programa de intercâmbio Teixeira de Freitas, do Supremo Tribunal Federal (STF) em parceria com a Universidade de Brasília (UnB), que traz alunos, docentes ou pesquisadores de universidades dos países vizinhos para a experiência de viverem no Brasil por um semestre, cursando disciplinas na graduação ou pós-graduação em Direito na UnB, participando de sessões plenárias e, quando possível, realizando estágios em gabinetes de ministros.

Desde 2009, o programa de intercâmbio Teixeira de Freitas já trouxe 41 alunos. Neste semestre, quatro estudantes – dois da Argentina e dois do Chile – participam do programa. Para eles, a experiência de conhecer um modelo de Judiciário diferente enriquece o currículo.

Os países com maior quantidade de alunos intercambistas são Argentina (16), Chile (15) e Paraguai (7).  Para os estudantes argentinos Maria Macarena Leiva, de 22 anos, da Universidade de El Salvador, em Buenos Aires, e Joan Adrian Ortiz, de 23 anos, da Universidade de Córdoba, o intercâmbio tem sido uma experiência de contato com a prática jurídica. “Na Argentina não temos tantas oportunidades de vivermos a prática do Direito. Nosso estudo é mais teórico, abstrato”, afirmou Joan.
 
“Além da oportunidade de contato com a prática, o Brasil usufrui dessa imensa tecnologia avançada que não temos em nosso país”, completou Maria Macarena. Os estudantes que participam do programa podem morar em sistema de república na UnB (Colina) ou viver em casa de família.

Para conhecer o programa de intercâmbio, basta acessar: http://www2.stf.jus.br/portalStfInternacional/cms

Regina Bandeira
Agência CNJ de Notícias

Deixe um comentário