Exército presta homenagem ao CNJ

O comando da Brigada de Operações Especiais prestou, nesta quinta-feira (30/6), uma homenagem ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), na pessoa do conselheiro Paulo Tamburini, pelo esforço de integração das instituições em benefício da sociedade brasileira. Durante o evento, realizado na sede da Brigada de Operações Especiais, em Goiânia, foram prestadas as devidas honras militares ao conselheiro e ainda discutidas novas possibilidades de cooperação entre o Poder Judiciário e as Forças Armadas.

O Conselheiro Paulo Tamburini ressaltou que o Ministério da Defesa já vem cooperando com o Poder Judiciário em diversas ações em favor da sociedade, como, por exemplo, no caso de pacificação do Complexo do Alemão/Penha, iniciada no ano passado, na cidade do Rio de Janeiro. A operação conjunta do Exército e polícias permitiu ao Estado retomar o controle sobre a área e levar serviços públicos à população. Em breve, o Poder Judiciário e a defensoria pública devem se instalar no local.

A cooperação do Poder Judiciário com as Forças Armadas destaca-se, de igual forma, em iniciativas no cenário internacional, como ocorreu no apoio do Brasil ao processo de democratização da República Democrática do Congo, na Costa do Marfim e no Haiti. O trabalho foi reconhecido pelo CNJ que, em sua 125ª Sessão Ordinária, no final de abril, aprovou moção de elogio ao capitão de infantaria Rafael Oligursky e ao sargento Sandro José Ramos, ambos integrantes das Forças Especiais do Exército Brasileiro, “pela excelência do profissionalismo” com que resgataram o missionário brasileiro Márcio Sampaio de Paulo, em meio aos conflitos na Costa do Marfim, no inicio do ano. Na moção, o CNJ ressaltou também a importância da atuação das Forças Armadas no Complexo do Alemão e sua cooperação com o Poder Judiciário.

O Conselheiro Tamburini salientou a “excelência das Forças Especiais do Exército Brasileiro” que se destacam “entre as melhores do mundo” e trabalham em cooperação com outras instituições “em favor do povo brasileiro”.

“Para nós, é uma grande satisfação receber o representante do CNJ e mostrar a ele um pouco do nosso trabalho”, comentou o general Freire Gomes, comandante da Brigada de Operações Especiais”, que vê “grandes possibilidades” de manter o compartilhamento de  trabalhos, especialmente nas áreas de fronteira.

Gilson Luiz Euzébio

Agência CNJ de Notícias

 

Deixe um comentário