Grife Daspre lança moda de detentas em São Paulo

Compartilhe

Um desfile de moda com modelos que cumprem pena no sistema carcerário paulista deu um toque de beleza e emoção, nesta terça-feira (06/09), ao Encontro Nacional do Começar de Novo. O evento foi realizado em São Paulo pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). As modelos desfilaram roupas da grife Daspre, confeccionadas dentro das unidades prisionais. Na ocasião, houve também a solenidade de formatura de detentas que concluíram capacitação em corte e costura.

O desfile e a formatura serviram para mostrar o trabalho de reinserção social desenvolvido pela Secretaria de Adminstração Penitenciária de São Paulo (SAP), Fundação Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel e o Fundo de Solidariedade de São Paulo. E consistiu num dos pontos altos do evento, com a platéia aplaudindo de pé. Foram feitas, inclusive, várias entrevistas e fotos com as modelos.

Emoção – “É uma emoção única, inesquecível!”, disse, emocionada, a Raquel, de 33 anos, uma das que desfilaram. Perguntada sobre os planos para o futuro, respondeu: “se o meu marido deixar, quero ser modelo”.“Estou muito feliz com este momento, um dos melhores da minha vida”, emendou Estefani, 23 anos, que sonha ser estilista. Já Natália, 27, disse estar “sentindo uma emoção extraordinária” e revelou um de seus sonhos: “estou fazendo cursos e pretendo me formar em odontologia ou enfermagem”.

A primeira dama de São Paulo, Lu Alckmin, presidente do Fundo de Solidariedade de São Paulo, afirmou que a proposta dessa parceria é dar condições para que as detentas estejam capacitadas para atuar como empreendedoras, iniciando uma nova vida. As roupas da grife Daspre são comercializadas e a renda é revertida para as costureiras que cumprem pena no sistema prisional paulista.

Jorge Vasconcellos
Agência CNJ de Notícias