Joaquim Barbosa destaca a importância de mais mulheres na composição do CNJ

Você está visualizando atualmente Joaquim Barbosa destaca a importância de mais mulheres na composição do CNJ

O presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Joaquim Barbosa, destacou, nesta terça-feira (27/8), a importância da presença de quatro mulheres entre os novos integrantes do CNJ para o biênio de 2013 a 2015. “A inclusão de minorias insulares na cúpula do Poder Judiciário é motivo de júbilo e representa um avanço na, ainda lenta, mas almejada igualdade entre homens e mulheres no âmbito das instâncias superiores da Justiça”, declarou o ministro, durante a cerimônia de posse de oito integrantes do Conselho.

Entre as mulheres que integram a nova composição, duas tomaram posse nesta terça-feira (27/8): a desembargadora Ana Maria Duarte Amarante Brito e a juíza Deborah Ciocci, ambas indicadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A ministra Maria Cristina Peduzzi, representante do Tribunal Superior do Trabalho (TST), e a advogada Gisela Gondin, indicada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que ingressaram no Conselho em abril e início de agosto, respectivamente, completam o grupo de representantes femininas. As composições anteriores contaram com no máximo duas mulheres por vez.

Para o ministro, embora ainda não seja em número ideal, a inclusão de mais mulheres na composição do colegiado representa um avanço. “Hoje mais um passo está sendo dado contra as históricas barreiras invisíveis que não permitem que as mulheres  que são maioria da nossa população  ascendam a posições de prestígio e poder no nosso País”, ressaltou. Segundo Barbosa, embora o Judiciário seja constituído por grande contingente de juízas de primeira instância, ainda são poucas as mulheres nas cúpulas superiores da Justiça, até mesmo no CNJ. Para ele, é necessário “trilhar o caminho da igualdade”, para acabar com o que classificou como “hierarquização oficiosa” na cúpula do Judiciário e promover uma sociedade cada vez mais justa.
 
Gestão – Ao dar as boas-vindas aos novos conselheiros, o ministro Joaquim Barbosa destacou que a renovação do CNJ fortalece o controle da administração da Justiça exercido pelo Conselho, assim como sua missão constitucional de ordenar o planejamento do Judiciário, com vistas a promover melhorias de gestão e aprimorar a prestação jurisdicional de forma cada vez mais eficaz.
 
Ele lembrou que, em eventos promovidos pelo Conselho, foram estabelecidas metas prioritárias para toda a Justiça brasileira, as quais buscam o aperfeiçoamento da gestão administrativa e financeira das Cortes e dos processos. O incentivo ao julgamento de ações relacionadas à corrupção e à improbidade administrativa, a implantação do Processo Judicial Eletrônico (PJe) em todos os órgãos do Judiciário e a preservação da independência da magistratura, segundo o ministro, são algumas das prioridades do CNJ. “É um momento significativo para a continuidade dos trabalhos deste relevante órgão”, concluiu o presidente, após dar posse aos novos integrantes do colegiado.
 
Mariana Braga
Agência CNJ de Notícias

Deixe um comentário