Mais de 8 mil servidores da Justiça Federal já responderam ao Censo

Você está visualizando atualmente Mais de 8 mil servidores da Justiça Federal já responderam ao Censo
Compartilhe

Mais de 8 mil servidores da Justiça Federal já responderam o Censo Nacional do Poder Judiciário, elaborado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O número representa aproximadamente 30% dos servidores desse ramo da Justiça, que chega a 28,1 mil.

De acordo com o relatório de acompanhamento do Censo, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (formado por 13 estados e Distrito Federal) lidera o grupo com 35,2% de questionários respondidos, contabilizando 2.750 participações. Um resultado positivo, alcançado principalmente por uma ação de comunicação voltada a um canal direto: o e-mail.

“Sabemos que os servidores não gostam de parar para responder enquete. Para melhorar a adesão ao censo, encaminhamos vários e-mails semanais com o link do questionário em destaque e reforçamos que a participação dele levaria no máximo 5 minutos. Deu certo”, avaliou a assessora de comunicação do tribunal, Ivani Morais.

Além da estratégia de facilitar o acesso ao link por e-mail, a comunicação do TRF1 também elaborou uma ação na internet com banner, matéria jornalística e vídeo, publicados no portal do tribunal, que reforçam, de forma incisiva, a importância do censo e a necessidade da participação de todos. Outro instrumento utilizado foi o informativo diário, voltado aos servidores e magistrados. “Já estamos falando sobre a próxima etapa (dentro de 30 dias, o censo será voltado aos magistrados), para que eles já estejam mais adaptados e se interessem em responder às perguntas”.

O percentual de respostas do Tribunal Regional Federal da 4ª e da 2ª Região está em 32,4% (1.800) e 29,5% (1.400), respectivamente. O TRF 3 tem 22,7% dos questionários respondidos (1.420) e o TRF 5 está com 19% de participação, com 710 respostas.

Este é o primeiro censo focado no Poder Judiciário brasileiro. O questionário está sendo aplicado em todas as unidades judiciárias do País por meio eletrônico e seu resultado deve ser divulgado dentro de seis meses.

Elaborado por especialistas do Departamento de Pesquisas Judiciárias (DPJ), do CNJ, o Censo pretende descobrir desde o grau de envolvimento dos servidores com suas atividades até o nível de satisfação desse servidor com suas funções e com o tribunal onde trabalha, passando por pontos menos subjetivos, como média de horas trabalhadas no dia, nível de escolaridade e estado civil.

Regina Bandeira
Agência CNJ de Notícias