Mutirão Carcerário encontra medicamentos vencidos em prisões do Ceará

Você está visualizando atualmente Mutirão Carcerário encontra medicamentos vencidos em prisões do Ceará
Compartilhe

Por recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a administração do sistema prisional do Ceará fez o descarte de medicamentos que, embora com prazo de validade vencido, estavam disponíveis para ser ministrados a detentos de duas unidades carcerárias da região metropolitana de Fortaleza. Os medicamentos foram encontrados pela equipe do CNJ que realiza o Mutirão Carcerário no Ceará.

“Tais medicações estavam prontas para, em caso de necessidade, serem ministradas aos presos. É um fato muito grave, pois a medicação com prazo de validade vencido, além de perder totalmente sua eficácia, pode trazer efeitos colaterais às pessoas que a utilizam”, afirmou o juiz Paulo Augusto Irion, um dos coordenadores do Mutirão Carcerário.

Os medicamentos foram encontrados durante inspeções realizadas nos dias 3 e 4 na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor José Jucá Neto (CPPL III) e na Casa de Privação Provisória de Liberdade Agente Penitenciário Luciano Andrade Lima (CPPL I), ambas situadas no município de Itaitinga/CE.

Asma e infecções  “Imediatamente após identificar o problema, fizemos a comunicação à supervisão do sistema prisional, que retirou os remédios das prateleiras das farmácias”, disse o juiz Paulo Irion, acrescentando que um dos medicamentos é o Clenil HFA 250 MCG Spray, utilizado para o tratamento de asma. Também estavam vencidos o Clavilin e o Tamiram, ambos indicados para casos de infecções.

O Mutirão Carcerário do CNJ no Ceará foi iniciado em 7 de agosto e termina nesta sexta-feira (13/9). Nesse período, além de medicamentos vencidos, o CNJ constatou deficiências como superlotação, falta de higiene, estrutura precária de prisões e detentos em situação irregular. Todos esses problemas constarão do relatório final do mutirão, que também trará recomendações de melhorias para as autoridades estaduais.

Jorge Vasconcellos
Agência CNJ de Notícias