Presidente do TJBA aponta saídas para a morosidade

Compartilhe

Dirigente da Corte com algumas das piores avaliações de desempenho em pesquisas sobre morosidade, a desembargadora Telma Brito, presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), fez um diagnóstico dos efeitos nefastos do atraso no atendimento à população. “A morosidade frustra direitos, afronta a dignidade da pessoa humana e leva ao descrédito do Judiciário”, assinalou, nesta quinta-feira (12/5), durante o 87º Encontro do Colégio Permanente de Presidentes de Tribunais de Justiça do Brasil, realizado em Salvador.

Para a desembargadora, o Poder Judiciário só gozará de reconhecimento público quando puder atender com rapidez aqueles que o procuram. A presidente do TJ baiano apontou as ações que sua gestão vem desenvolvendo para resolver o problema da morosidade e destacou iniciativas como a virtualização de todo o acervo físico de processos, a capacitação dos servidores, dentre outras medidas administrativas. 

Segundo Telma Brito, iniciativas como o seminário “Os 100 Maiores Litigantes da Justiça”, promovido no início do mês pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em São Paulo, aprimoram o debate em torno da questão da morosidade, especialmente quando mostram que a solução passa por ações de conciliação e mediação.

Marcone Gonçalves
Agência CNJ de Notícias