Programa de Educação a Distância (EaD) do CNJ é premiado

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ ) foi premiado com a seleção da Revista Gestão e RH – que selecionou “As 25 Melhores Práticas de E-learning”. A cerimônia de premiação aconteceu nesta quarta-feira (31/08), em São Paulo, e homenageou, além do Conselho, organizações públicas e privadas que investem em educação corporativa por meio de programas de aprendizado utilizando a educação a distância.

 O CNJ se destacou pelo projeto intitulado “O Modelo de Educação a Distância (EaD) do Poder Judiciário: Um Sistema Colaborativo”. Desenvolvido pelo chefe da seção de seleção e aperfeiçoamento da Coordenadoria de Gestão de Pessoas do órgão, Diogo Albuquerque Ferreira, e pela analista de sistemas Patrícia de Souza Falcão, o modelo proposto é baseado em quatro princípios: colaboração, acessibilidade, universalidade e sustentabilidade.

Disseminação – Segundo informações da área, o CNJ vem utilizando a educação a distância como ferramenta de gestão e disseminação do conhecimento de servidores e magistrados de todos os tribunais brasileiros. Tanto que, desde o início do projeto de EaD do Poder Judiciário, já foram realizados 16 cursos de formação de tutores e coordenadores, que resultaram na preparação de 776 profissionais para ajudar na implantação e aperfeiçoamento dos processos de educação a distância.

Somando todos os cursos oferecidos, dessa forma, pelo CNJ, já foram capacitadas 2.030 pessoas – que receberam um total de 1.650 horas de treinamento.

Atualmente, a videoteca do CNJ possui 16 vídeos de palestras e entrevistas sobre EaD. A disseminação do conhecimento também ocorre por meio da biblioteca digital, com a disponibilização de 50 itens, entre artigos, monografias, dissertações, teses, livros e palestras sobre o tema. 

Vantagens – Dentre as principais vantagens da educação a distância estão a otimização de recursos públicos, a multiplicação da oferta de treinamentos, a liberdade para o servidor ou magistrado estudar onde, quando e no ritmo que desejar. 

“Os resultados alcançados estão transformando a realidade do Poder Judiciário, levando o conhecimento aos mais distantes braços da Justiça” afirmou o responsável pelo programa, Diogo Albuquerque Ferreira. O Conselho prepara, para o período entre 24 e 26 de outubro, a realização do 3º Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário.

As inscrições podem ser feitas no Portal do CNJ no link: https://www.cnj.jus.br/evento/eventos-novos/3-forum-de-educacao-a-distancia-do-poder-judiciario

Agência CNJ de Notícias

Deixe um comentário