Doação de papel atinge 3,3 toneladas no Tribunal de Justiça maranhense

Você está visualizando atualmente Doação de papel atinge 3,3 toneladas no Tribunal de Justiça maranhense

As divisões de Acervo Administrativo e Acervo Judicial do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) doaram para o Programa Ecocemar 1,8 tonelada de papel, descartado conforme orientações do programa de Gestão Documental do Judiciário maranhense. Com a iniciativa, o TJMA beneficiou, pela segunda vez, a Fundação da Cidadania e Justiça, que foi contemplada com desconto de R$ 216 na conta de energia. A primeira doação de 1,5 tonelada — feita em setembro — gerou desconto de R$ 187 em favor da instituição.

Em 2016, o Judiciário doou 3,3 toneladas de papéis oriundos do descarte de documentos. O trabalho do arquivo agrega a logística prevista na legislação à política de gestão socioambiental do tribunal, cuja articulação está sendo feita pelo Núcleo Socioambiental, em parceria com diversos setores, incluindo a Divisão de Acervo.

Conforme classificação e aplicação da tabela de temporalidade, houve a eliminação de documentos referentes aos agravos de instrumento do ano de 2009. O trabalho seguiu as instruções do edital de eliminação 3/2016 do tribunal.

A organização e acompanhamento do descarte são feitos pelo chefe da Divisão de Acervo Judicial e Histórico, Christorferson Melo. Ele destacou a preocupação do Judiciário maranhense com as medidas legais para eliminar os documentos, processo em que são consideradas as questões sociais e ambientais.

Ecocemar — O projeto consiste na troca de resíduos recicláveis por bônus na fatura de energia elétrica, com destinação organizada do material à indústria de reciclagem. O objetivo é contribuir na preservação do meio ambiente e oferecer alternativas para o pagamento das faturas.

Podem ser beneficiados clientes residenciais (de baixa tensão) de toda a área de concessão da Cemar. Eles têm a opção de obter o bônus na conta de energia do consumo próprio ou doar para instituições filantrópicas.

Clientes comerciais ou industriais não podem acumular descontos para sua própria conta de energia, mas podem doar o resíduo de seus processos em um posto de coleta e direcionar o bônus gerado para uma instituição beneficente ou para qualquer unidade consumidora residencial.

Fonte: TJMA